Tudo sobre Nutrição, Saúde e Alimentação.
Conteúdos (clique para ver)

Probióticos são bactérias saudáveis que habitam o nosso organismo, principalmente o intestino.

Eles estão relacionados a inúmeros benefícios à saúde, como perda de peso, melhor digestão, maior função imunológica, pele mais saudável e risco reduzido de doenças (1, 2).

Quer saber mais sobre os probióticos e como eles agem no nosso corpo? Continue lendo.

O que são probióticos?

Importância de microorganismos para o seu intestino

São microrganismos vivos que, quando ingeridos, proporcionam inúmeros benefícios à saúde (3).

Geralmente são bactérias, mas certos tipos de leveduras também podem funcionar como probióticos.

É possível obtê-los a partir de suplementos, bem como alimentos preparados através da fermentação. Alguns exemplos incluem iogurte, kefir, chucrute, tempeh e kimchi.

Os grupos mais comuns incluem Lactobacillus e Bifidobacterium. Cada um deles compreende diferentes espécies, e cada espécie possui muitas linhagens.

Curiosamente, diferentes probióticos abordam diferentes condições de saúde. Portanto, escolher o tipo certo – ou tipos – é essencial.

Alguns suplementos combinam diferentes espécies no mesmo produto.

Os probióticos não devem ser confundidos com os prebióticos, fibras que ajudam a alimentar as bactérias benéficas já presentes em nosso intestino (4, 5).

Veja também:

Jejum Intermitente para Mulheres – Guia Prático

Alimentos que aumentam a nossa energia

Como ganhar peso com segurança e rapidez

Importância de microorganismos para o seu intestino

A complexa comunidade de microorganismos no nosso intestino é chamada de flora intestinal ou microbiota (6).

Na verdade, o órgão contém centenas de diferentes tipos de microorganismos – até mil, de acordo com algumas estimativas.

Isso inclui bactérias, leveduras e vírus – sendo as bactérias que compõem a grande maioria.

A maior parte da flora intestinal é encontrada no cólon, ou intestino grosso, a última parte do trato digestivo.

Surpreendentemente, as atividades metabólicas de nossa microbiota se assemelham às de um órgão.

Por essa razão, alguns cientistas se referem à flora intestinal como o “órgão esquecido” (7).

Ela realiza muitas funções que são importantes para a saúde. Fabrica vitaminas, incluindo vitamina K e algumas vitaminas do complexo B (8).

Também transforma fibras em gorduras de cadeia curta, como butirato, propionato e acetato, que alimentam a parede intestinal e desempenham muitas funções metabólicas (9, 10).

Essas gorduras também estimulam o sistema imunológico e fortalecem a parede intestinal.

Isso pode ajudar a evitar que substâncias indesejadas entrem em nosso corpo e provoquem uma resposta imune (11, 12, 13, 14).

No entanto, nem todos os organismos no intestino são amigáveis.

A flora intestinal é altamente sensível à nossa dieta, e estudos mostram que seu desequilíbrio está ligado a inúmeras doenças (15, 16).

Essas doenças incluem obesidade, diabetes tipo 2, síndrome metabólica, problemas cardíacos, câncer colorretal, doença de Alzheimer e depressão (17, 18, 19, 20).

Probióticos – e fibras prebióticas – podem ajudar a corrigir esse equilíbrio, garantindo que seu “órgão esquecido” funcione de maneira ideal (21).

Impacto na saúde digestiva

Os probióticos são amplamente pesquisados ​​por seus efeitos na saúde digestiva (22).

Evidências sugerem que os suplementos podem ajudar a curar a diarreia associada a antibióticos (23, 24, 25).

Quando as pessoas tomam esse medicamento, especialmente por longos períodos de tempo, muitas vezes experimentam diarréia – mesmo depois de a infecção ter sido erradicada.

Isso ocorre porque os antibióticos matam muitas das bactérias naturais no intestino, o que altera o equilíbrio e permite que as que são prejudiciais prosperem.

Probióticos também combatem a síndrome do intestino irritável (IBS), um distúrbio digestivo comum, reduzindo gases, inchaço, constipação, diarréia e outros sintomas (26, 27, 28).

Alguns estudos também apontam benefícios contra doenças inflamatórias intestinais, como a doença de Crohn e a colite ulcerativa (29).

Além disso, os probióticos podem combater as infecções por Helicobacter pylori, um dos principais causadores de úlceras e câncer de estômago (30, 31, 32, 33).

Impacto na perda de peso

Pessoas obesas têm diferentes bactérias intestinais do que aquelas que são magras (34).

Curiosamente, estudos em animais indicam que transplantes fecais de animais magros podem fazer com que animais obesos percam peso (35, 36).

Portanto, muitos cientistas acreditam que as bactérias intestinais são importantes na determinação do peso corporal (37, 38).

Embora mais pesquisas sejam necessárias, algumas cepas probióticas parecem auxiliar na perda de peso (39).

Em um estudo em 210 pessoas com obesidade central, que é caracterizada pelo excesso de gordura da barriga, tomar o probiótico Lactobacillus gasseri diariamente resultou em uma perda de 8,5% da gordura dessa região durante 12 semanas (40).

Quando os participantes pararam de tomar o probiótico, recuperaram o peso em quatro semanas.

Evidências também sugerem que Lactobacillus rhamnosus e Bifidobacterium lactis podem ajudar na perda de peso e prevenção da obesidade – embora isso precise de mais pesquisas (41, 42).

Outros benefícios à saúde

Existem muitos outros benefícios dos probióticos. Conheça alguns:

  • Inflamação: Os probióticos reduzem a inflamação sistêmica, um dos principais responsáveis ​​por muitas doenças (43).
  • Depressão e ansiedade: As cepas probióticas Lactobacillus helveticus e Bifidobacterium longum mostraram reduzir os sintomas de ansiedade e depressão (44, 45).
  • Colesterol sangüíneo: Vários probióticos mostraram reduzir os níveis de colesterol LDL total e “ruim” (46, 47).
  • Pressão arterial: Os probióticos também podem causar reduções modestas na pressão arterial (48, 49).
  • Função imune: Várias cepas probióticas podem melhorar a função imunológica, possivelmente levando a um risco reduzido de infecções, inclusive para o resfriado comum (50, 51).
  • Saúde da pele: Há algumas evidências de que os probióticos podem ser úteis para acne, rosácea e eczema, bem como para outras doenças de pele (52).

Esta é apenas uma pequena parte dos benefícios totais dos probióticos, uma vez que estudos em andamento indicam uma ampla gama de efeitos sobre a saúde.

Segurança e efeitos colaterais

Os probióticos são geralmente bem tolerados e considerados seguros para a maioria das pessoas.

No entanto, nos primeiros dias, pode-se experimentar efeitos colaterais relacionados à digestão, como gases e desconforto abdominal leve (53).

Depois dos ajustes, a digestão deve começar a melhorar.

Em pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, incluindo aqueles com HIV, AIDS e várias outras condições, os probióticos podem levar a infecções perigosas (54).

Se você tiver uma condição médica, consulte o seu médico antes de tomar um suplemento.


Manter um intestino saudável é mais do que tomar um suplemento probiótico.

Uma alimentação saudável e exercícios são tão importantes como muitos outros fatores de estilo de vida que afetam suas bactérias intestinais.

No entanto, os suplementos probióticos oferecem uma ampla gama de benefícios com poucos efeitos colaterais.

Por isso, se você estiver interessado em melhorar sua saúde intestinal, eles podem valer a pena.