Tudo sobre Nutrição, Saúde e Alimentação.
Conteúdos (clique para ver)
  1. O que causa disbiose e quem está em risco?
  2. Quais os sintomas da disbiose?
  3. Como a disbiose é diagnosticada?
    3.1 - Teste de ácidos orgânicos
    3.2 - Análise abrangente de fezes digestivas (CDSA)
    3.3 - Teste de respiração de hidrogênio
  4. Que opções de tratamento estão disponíveis?
  5. Alguma mudança na dieta é necessária?
  6. Disbiose como fator de risco para certas doenças
  7. Qual é a perspectiva?
  8. Dicas para prevenção

A disbiose intestinal é um desequilíbrio da flora bacteriana intestinal que reduz a capacidade de absorção dos nutrientes e causa carência de nutrientes. Este  desequilíbrio é causado pela redução do número de bactérias boas do intestino e aumento das bactérias causadoras de doenças.

As causas mais frequentes da disbiose são o stress, a fome, a presença de parasitas, o uso de antibióticos, e as mudanças de altitude.

Pode ainda estar associada a diarreia ou a fatores alimentares, como alergias, falta de secreção digestiva, dieta com excesso de proteína, gordura ou carboidrato ou com baixo teor de fibra ou carência de vitaminas.

A sua saúde é intimamente mediada pelo seu intestino, e nesse artigo reunimos todos os detalhes sobre a Disbiose para você, continue lendo e saiba mais sobre essa condição, seus sintomas e opções de tratamento.

O que causa disbiose e quem está em risco?

Qualquer interrupção no equilíbrio da microbiota pode causar disbiose.

Quando a disbiose acontece em seu trato gastrointestinal, geralmente é o resultado de:

  • Uma mudança na dieta que aumenta a ingestão de proteínas, açúcar ou aditivos alimentares
  • Consumo químico acidental, como pesticidas persistentes em frutas não lavadas
  • Beber duas ou mais bebidas alcoólicas por dia
  • Novos medicamentos, como antibióticos, que afetam sua flora intestinal
  • Má higiene dental, que permite que as bactérias fiquem sem equilíbrio na boca
  • Altos níveis de estresse ou ansiedade, que podem enfraquecer o sistema imunológico
  • Sexo desprotegido, que pode expô-lo a bactérias nocivas

A disbiose também é comum em sua pele. Pode ser causada pela exposição a bactérias nocivas ou pelo crescimento excessivo de um único tipo de bactéria.

Por exemplo, a bactéria Staphylococcus aureus pode crescer fora de controle e levar a uma infecção por estafilococos. A bactéria Gardnerella vaginalis pode ultrapassar bactérias saudáveis ​​na vagina e causar queimação vaginal, coceira e secreção.

Veja também:

Dislipidemia: tudo que você precisa saber

8 alimentos fermentados para melhorar a digestão

Remédios naturais para tratar náusea

Quais os sintomas da disbiose?

Seus sintomas vão depender de onde o desequilíbrio bacteriano se desenvolve. Eles também podem variar baseado nos tipos de bactérias que se encontram fora de equilíbrio.

Sintomas comuns incluem:

  • Mau hálito
  • Estômago chateado
  • Náusea
  • Prisão de ventre
  • Diarréia
  • Dificuldade em urinar
  • Coceira vaginal ou retal
  • Inchaço
  • Dor no peito
  • Erupção cutânea ou vermelhidão

Como a disbiose é diagnosticada?

Depois de revisar seu histórico médico e avaliar seus sintomas, seu médico pode solicitar um ou vários do seguintes testes abaixo:

Teste de ácidos orgânicos

Será feito uma coleta de amostra de urina em um laboratório. O técnico de laboratório testará certos ácidos que as bactérias podem produzir. Se esses níveis de ácido forem anormais, isso pode significar que certas bactérias estão fora de equilíbrio.

Análise abrangente de fezes digestivas (CDSA)

Você deverá realizar uma coleta de fezes em um laboratório ou em casa. O técnico de laboratório testará o cocô para ver quais bactérias, leveduras ou fungos estão presentes. Os resultados podem dizer ao seu médico se há um desequilíbrio ou supercrescimento.

Teste de respiração de hidrogênio

Durante o o exame você deverá beber uma solução de açúcar e respire em um balão especial. O ar no balão pode então ser testado para gases produzidos por bactérias.

Muito ou pouco de certos gases pode indicar um desequilíbrio bacteriano. Este teste é frequentemente usado para testar o supercrescimento bacteriano do intestino delgado (SIBO).

Também pode ser feito uma coleta de uma amostra de bactérias ou tecido (biópsia) de uma área de uma infecção ativa para ver quais bactérias estão causando a infecção.

Que opções de tratamento estão disponíveis?

Se a medicação está por trás do seu desequilíbrio bacteriano, o seu médico provavelmente irá aconselhá-lo a interromper o uso até que o equilíbrio bacteriano seja restaurado.

Seu médico também pode prescrever medicamentos para ajudar a controlar as bactérias, incluindo:

  • Ciprofloxacina, um antibiótico que trata infecções intestinais resultantes de disbiose
  • Rifaximina, um antibiótico que trata os sintomas da síndrome do intestino irritável (SII), uma condição comum associada à disbiose
  • Co-trimoxazole, um antibiótico que trata infecções intestinais e do trato urinário que resultam de disbiose

Alguma mudança na dieta é necessária?

Se a sua dieta está na raiz do seu desequilíbrio bacteriano.

Se a sua dieta está na raiz do seu desequilíbrio bacteriano, o seu médico deverá encaminha-lo a um nutricionista para que realize o seu acompanhamento nutricional.

Caso o diagnóstico da disbiose esteja sendo feito pelo seu Nutricionista, ele deve orienta-lo corretamente a respeito da sua dieta.

Isso pode ajudar a garantir que você esteja recebendo nutrientes suficientes para manter as bactérias em equilíbrio, incluindo:

Seu nutricionista também pode dizer-lhe para deixa de consumir certos alimentos que contenham substâncias químicas nocivas ou muitos de certos nutrientes.

Os alimentos que você pode adicionar à sua dieta incluem:

  • Verduras escuras, incluindo espinafre e couve
  • Peixe, incluindo salmão e cavala
  • Carnes frescas (evitar produtos de carne processada)

Os alimentos que você pode precisar parar de comer incluem:

  • Carnes processadas, como carne de charcutaria e carne salgada ou enlatada
  • Carboidratos de milho, aveia ou pão
  • Algumas frutas, como bananas, maçãs e uvas
  • Laticínios, incluindo iogurte, leite e queijo
  • Alimentos ricos em açúcar, como xarope de milho, xarope de bordo e açúcar bruto de cana

Tomar pré e probióticos também pode ajudar a manter as bactérias intestinais em equilíbrio. Estes suplementos contêm culturas de bactérias específicas que você pode comer, beber ou tomar como medicamentos. Converse com seu médico sobre quais tipos de pré ou probióticos serão necessários para manter sua microbiota equilibrada.

Algumas pesquisas mostram que a ioga e a meditação podem ajudar seu corpo a absorver nutrientes. Eles também podem aumentar o fluxo sanguíneo para o cérebro e de volta ao seu intestino. Isso pode reduzir alguns dos sintomas da disbiose (1).

Disbiose como fator de risco para certas doenças

A disbiose demonstrou estar intimamente associada a certas doenças e condições, incluindo:

  • SII
  • Doenças do intestino, como colite
  • Candida, um tipo de infecção por fungos
  • Doença celíaca
  • Síndrome do intestino gotejante
  • Diabetes
  • Obesidade
  • Síndrome dos ovários policísticos
  • Condições da pele, como eczema
  • Doença hepática
  • Doença cardíaca ou insuficiência cardíaca
  • Demência de início tardio
  • Mal de Parkinson
  • Câncer em seu cólon ou reto

Qual é a perspectiva?

Disbiose é geralmente leve e pode ser tratada através de medicação e mudanças de estilo de vida. Mas se não tratada, a disbiose pode levar a condições crônicas, incluindo SII.

Consulte o seu médico ou nutricionista imediatamente se estiver sentindo dor de estômago incomum ou persistente ou irritação da pele. Quanto mais cedo diagnosticar sua condição, menor a probabilidade de desenvolver complicações adicionais.

Dicas para prevenção

Certas mudanças de estilo de vida podem ajudar a manter seu equilíbrio bacteriano e evitar que o crescimento excessivo ocorra.

Gostaria de mudar seus hábitos de vida? Leia nosso artigo sobre 21 hábitos para uma vida mais saudável.


Ultima atualização