Nutricionando | Nutrição, Saúde e Alimentação

Aquilo que comemos afeta drasticamente muitos aspectos da nossa saúde. O desenvolvimento de câncer, em particular, mostrou-se fortemente influenciado por nossa dieta.

Muitos alimentos contêm compostos benéficos que podem ajudar a diminuir o crescimento dessa doença. Vamos conhecê-los?

1. Brócolis

Brócolis contém sulforafano, um composto encontrado em vegetais crucíferos que pode ter propriedades anticancerígenas potentes.

Brócolis contém sulforafano, um composto encontrado em vegetais crucíferos que pode ter propriedades anticancerígenas potentes.

Um estudo em tubo de ensaio mostrou que a substância reduziu o tamanho e o número de células de câncer de mama em até 75% (1).

Um outro, realizado em animais, descobriu que o tratamento de camundongos com sulforafano ajudou a matar células da doença na região da próstata e reduziu o volume do tumor em mais de 50% (2).

Alguns estudos também descobriram que uma maior ingestão de vegetais desse tipo pode estar ligada a um risco menor de câncer colorretal e de cólon (3).

O sulforafano, composto encontrado no brócolis, foi testado em estudos com animais e tubos de ensaio. Ele mostrou ser eficaz na redução do tamanho e do número de células com a doença.

2. Cenoura

Vários estudos descobriram que comer mais cenouras está ligado a um risco reduzido de certos tipos de câncer.

Vários estudos descobriram que comer mais cenouras está ligado a um risco reduzido de certos tipos de câncer.

Por exemplo, uma análise com os resultados de cinco deles concluiu que a ingestão desse alimento pode reduzir o risco da doença no estômago em até 26% (4).

Outro estudo mostrou que elas estavam associadas a uma probabilidade 18% menor de desenvolvimento da doença, dessa vez na próstata (5).

Uma pesquisa analisou as dietas de 1.266 participantes com e sem câncer no pulmão. Descobriu-se que os fumantes que não comem cenoura tinham três vezes mais chances de desenvolver a doença, em comparação com aqueles que comiam a verdura mais de uma vez por semana (6).

Estudos mostraram que a cenoura está associada a um risco menor de câncer no estômago, na próstata e no pulmão.

Veja também:

Semente de Chia: Um Guia de Benefícios

Benefícios que a Quinoa para sua Saúde

9 tipos diferentes de sal: qual é o mais saudável?

3. Feijão

Os grãos são ricos em fibras, que alguns estudos descobriram que podem ajudar a proteger contra o câncer colorretal.

Os grãos são ricos em fibras, que alguns estudos descobriram que podem ajudar a proteger contra o câncer colorretal (7, 8, 9).

Um deles acompanhou 1.905 pessoas com histórico de tumores desse tipo, e descobriu que aqueles que consumiam mais feijões tendem a ter um risco menor de recorrência da doença (10).

Um estudo alimentou ratos com feijão preto ou feijão branco e, em seguida, induziu o câncer de cólon. Os resultados mostraram um bloqueio no desenvolvimento de células cancerígenas em até 75% (11).

O feijão, pela sua quantidade de fibras, demonstrou ajudar a proteger contra o câncer colorretal e, em uma pesquisa com animais, contra o câncer de cólon.

4. Bagas

As bagas são ricas em antocianinas, pigmentos vegetais que possuem propriedades antioxidantes e podem estar associadas a um risco reduzido da doença.

As bagas são ricas em antocianinas, pigmentos vegetais que possuem propriedades antioxidantes e podem estar associadas a um risco reduzido da doença.

Em um estudo em humanos, 25 pessoas com câncer colorretal foram tratadas com extrato de mirtilo durante sete dias, o que reduziu o crescimento de células cancerígenas em 7% (12).

Outro pequeno estudo forneceu framboesas pretas liofilizadas para pacientes com câncer bucal e os resultados mostraram uma redução nos níveis de certos marcadores associados à progressão da doença (13).

Já outro, dessa vez realizados em animais, descobriu que dar aos ratos framboesas liofilizadas reduziu em até 54% a incidência de tumores esofágicos e reduziu o número de tumores em geral em até 62% (14).

Ainda outro mostrou que ratos com um extrato de baga inibiram vários biomarcadores de câncer (15).

As bagas, frutas como mirtilo, framboesa e morango, são ricas em antocianina, substância com propriedades antioxidantes que podem reduzir o risco de câncer.

5. Canela

A canela é bem conhecida por seus benefícios à saúde, incluindo sua capacidade de reduzir o açúcar no sangue e aliviar a inflamação.

A canela é bem conhecida por seus benefícios à saúde, incluindo sua capacidade de reduzir o açúcar no sangue e aliviar a inflamação (16, 17).

Além disso, alguns estudos em tubo de ensaio e em animais descobriram que a especiaria pode ajudar a bloquear a disseminação de células cancerígenas (18, 19).

Um estudo em animais também mostrou que o extrato de canela induziu a morte em células tumorais e também diminuiu a quantidade de tumores que cresceram e se espalharam (20).

Conhecida por seus inúmeros benefícios à saúde, a canela mostrou bloquear a disseminação de células cancerígenas, impedindo que tumores se espalhassem.

6. Nozes

Um estudo analisou as dietas de 19.386 pessoas e descobriu que comer uma quantidade maior de nozes estava associado a um risco menor de câncer.

Um estudo analisou as dietas de 19.386 pessoas e descobriu que comer uma quantidade maior de nozes estava associado a um risco menor de câncer (21).

Outro estudo acompanhou 30.708 participantes por até 30 anos e descobriu que a ingestão de nozes regularmente estava associada a uma diminuição do risco da doença na região colorretal, pancreática e endometrial (22).

As pesquisas também analisaram tipos específicos de nozes. Por exemplo, a castanha-do-brasil é rica em selênio, o que pode ajudar na proteção contra o câncer de pulmão em pessoas com baixo nível do nutriente (23).

Da mesma forma, um estudo em ratos mostrou que a alimentação com nozes diminuiu a taxa de crescimento de células contaminadas na região das mamas em 80%, além de reduzir o número de tumores em 60% (24).

Em estudos de longo prazo, as nozes mostraram estarem associadas a diminuição do risco de alguns tipos de câncer, como o pancreático e o endometrial.

7. Azeite de Oliva

O azeite de oliva possui vários benefícios para a saúde, por isso não é de admirar que seja um dos alimentos básicos da dieta mediterrânea.

O azeite de oliva possui vários benefícios para a saúde, por isso não é de admirar que seja um dos alimentos básicos da dieta mediterrânea.

Várias análises descobriram que uma maior ingestão de azeite pode ajudar a proteger contra o câncer.

Uma revisão composta por 19 estudos mostrou que as pessoas que consumiram a maior quantidade desse óleo tiveram menor risco de desenvolver a doença na região das mamas e do aparelho digestivo, do que aquelas com menor consumo (25).

Outro estudo analisou as taxas de câncer em 28 países em todo o mundo e descobriu que as áreas com maior consumo de óleo de oliva tinham taxas reduzidas de câncer colorretal (26).

A substituição de outros óleos na sua dieta por azeite de oliva é uma maneira simples de aproveitar seus benefícios para a saúde. Você pode usá-lo em saladas e legumes cozidos, ou tentar usá-lo em suas marinadas para carne, peixe ou frango.

Estudos relacionaram regiões com maior consumo de azeite de oliva extra virgem a menor incidência de câncer colorretal

8. Açafrão

Açafrão é uma especiaria conhecida por suas propriedades que promovem a saúde.

Açafrão é uma especiaria conhecida por suas propriedades que promovem a saúde.

A curcumina, seu ingrediente ativo, é uma substância química com efeitos antiinflamatórios, antioxidantes e até anticancerígenos.

Um estudo analisou seus efeitos em 44 pacientes com lesões no cólon que poderiam ter se tornado cancerígenas. Após 30 dias, 4 gramas da substância por dia reduziram em 40% o número de lesões presentes (27).

Em um estudo de tubo de ensaio, a substância também foi usada para diminuir a propagação de células de câncer de cólon, visando uma enzima específica relacionada ao crescimento da doença (28).

Outro estudo de tubo de ensaio mostrou que a curcumina ajudou a matar as células cancerígenas da região da cabeça e do pescoço (29).

Ela também demonstrou ser eficaz em retardar o crescimento de células de câncer de pulmão, mama e próstata em outros estudos de tubo de ensaio (30, 31, 32).

A substância ativa do açafrão, a curcumina, mostrou ser responsável por reduzir a propagação de células cancerígenas em doenças no pulmão, mama e próstata.

9. Frutas cítricas

Um grande estudo descobriu que os participantes que ingeriam uma quantidade maior de frutas cítricas tinham um risco menor de desenvolver cânceres do aparelho digestivo e do trato respiratório superior .

Um grande estudo descobriu que os participantes que ingeriam uma quantidade maior de frutas cítricas tinham um risco menor de desenvolver cânceres do aparelho digestivo e do trato respiratório superior (33).

Uma revisão que analisou nove outros estudos também descobriu que um maior consumo de frutas cítricas estava associada a um risco reduzido da doença na região do pâncreas (34).

Uma outra revisão, dessa vez com 14 estudos, mostrou que uma alta ingestão, ou pelo menos três porções por semana, de frutas cítricas reduziu o risco de câncer de estômago em 28% (35).

As frutas cítricas, além de refrescantes, ajudam a reduzir o risco de câncer no pâncreas e no estômago.

10. Linhaça

Com alto teor de fibras e gorduras saudáveis para o coração, a semente de linhaça pode ser uma adição saudável à sua dieta.

Com alto teor de fibras e gorduras saudáveis para o coração, a semente de linhaça pode ser uma adição saudável à sua dieta.

Algumas pesquisas mostraram que pode até ajudar a diminuir o crescimento do câncer e ajudar a matar as células cancerígenas.

Em um estudo, 32 mulheres com a doença na região das mamas receberam um muffin de linhaça diariamente ou um placebo por mais de um mês.

No final do estudo, o grupo da semente apresentou níveis diminuídos de marcadores específicos que medem o crescimento do tumor, bem como um aumento na morte das células cancerígenas (36).

Em outro estudo, 161 homens com câncer de próstata foram tratados com linhaça, o que reduziu o crescimento e disseminação de células afetadas (37).

A semente é rica em fibras, que outros estudos descobriram ser protetora contra o câncer colorretal (7, 8, 9).

A semente de linhaça é rica em fibras, o que ajuda a prevenir o câncer colorretal. Além disso, ela ajuda a diminuir o crescimento de tumores e promove a morte de células com a doença.

11. Tomate

O licopeno é um composto encontrado no tomate que é responsável pela sua cor vermelha vibrante, bem como suas propriedades anticancerígenas.

O licopeno é um composto encontrado no tomate que é responsável pela sua cor vermelha vibrante, bem como suas propriedades anticancerígenas.

Uma revisão de 17 estudos também descobriu que uma maior ingestão de tomates crus, tomates cozidos e licopeno estava associada a um risco reduzido de câncer de próstata (38, 39).

Estudos mostram que o licopeno, composto encontrado no tomate, está associado a um risco reduzido de câncer de próstata.

12. Alho

O componente ativo do alho é a alicina, um composto que demonstrou matar células cancerígenas em múltiplos estudos em tubos de ensaio.

O componente ativo do alho é a alicina, um composto que demonstrou matar células cancerígenas em múltiplos estudos em tubos de ensaio (40, 41, 42).

Foi descoberta uma associação entre a ingestão de alho e um menor risco de certos tipos de câncer.

Um que contou com 543.220 participantes descobriu que aqueles que comiam muitas verduras Allium, como alho, cebola, alho-poró e cebolinha, tinham um risco menor de câncer de estômago do que aqueles que raramente os consumiam (43).

Um estudo com 471 homens mostrou que uma maior ingestão de alho estava associada a um risco reduzido da doença na região da próstata (44).

Outro estudo descobriu que os participantes que comiam muito alho, frutas, verduras amarelas, vegetais verde-escuros e cebola, tinham menor probabilidade de desenvolver tumores colorretais. No entanto, este estudo não isolou os efeitos do alho (45).

O componente ativo do alho, a alicina, foi alvo de muitos estudos, onde os resultados mostram que ela é capaz de matar células cancerígenas.

13. Peixe com gordura

Um grande estudo mostrou que uma maior ingestão de peixe foi associada a um menor risco de câncer do trato digestivo.

Um grande estudo mostrou que uma maior ingestão de peixe foi associada a um menor risco de câncer do trato digestivo (46).

Outro estudo que acompanhou 478,040 adultos descobriu que comer mais peixe diminuiu o risco de desenvolver câncer colorretal, enquanto carnes vermelhas e processadas aumentaram o risco (47).

Em particular, peixes gordurosos como salmão, cavala e anchova contém importantes nutrientes, como vitamina D e ácidos graxos ômega-3, que têm sido associados a um risco menor de contrair a doença (48, 49).

Estudos mostram que peixes com gordura, como salmão, cavala e anchova possuem nutrientes que são associados a um risco menor de contrair câncer.

Com novas pesquisas surgindo a cada dia, torna-se cada vez mais claro que nossa dieta tem um grande impacto sobre o risco de câncer.

Embora existam muitos alimentos com potencial para reduzir a disseminação e o crescimento de células cancerígenas, os estudos atuais são limitados a tubo de ensaio, animais e observacionais.

Mais pesquisas são necessárias para entender como esses alimentos podem afetar diretamente o desenvolvimento da doença em seres humanos.

Enquanto isso, é seguro apostar que uma dieta rica e balanceada, combinada a um estilo de vida saudável, melhorará muitos aspectos de sua saúde. Conte com a gente nessa jornada!


Ultima atualização - 2019-07-14